sábado, 26 de setembro de 2015

no ar, amor, é só respirar

dentro de nós existem dois

um que ama
outro que quer

um que contempla
outro que busca

um que está na paz
outro que está na guerra

um que está presente
outro que está no passado ou no futuro

observa 
as pessoas acordam já ligadas no que tem a fazer,
cada um sempre com coisas muito importantes
se não estão fazendo, estão pensando
mas nunca presentes, 
observa

dentro de nós sempre tem dois
o feio e o bonito
o mal e o bem

para viver temos que comer
para comer temos que matar

para sobreviver temos que trabalhar
para trabalhar temos que nos forçar a fazer coisas que o outro lado dos eus nunca faria
somos forçados a estudar
a nos especializar e nos integrar a engrenagem da grande máquina
que não deve nunca parar
observa os carros sempre daqui para lá
as fabricas sempre a funcionar
acabando com nós e o planeta
como viver sem consumir, comer, matar...
nos tornamos consumistas, comedores, assassinos
e não conseguimos mais parar: consumir, acumular, comer, matar, empoderar...

alguns dizem que fomos misturados
na origem
com outra raça humanoide
a original é do amor
a colonizadora que nos plantou seus gens, é racional

esquecemos o que somos, quem somos
nossa mente constantemente ocupada 
colonizada
o automático do ser racional nos condena a viver sem nos lembrar de quem somos, 
e o que é realmente para nós fazermos
neste mundo contaminado de ilusões

quem eres?
sou o que tenho e não tenho
o que quero e não quero
sou trabalho
a batalha por dinheiro
meu comando é
sobreviver
matar, comer, consumir, ter sucesso, reconhecimento, glamour 

o que fazer?

observar
nos auto observar
e escolher
a quem tua alma alimenta
na eterna dialética do ser

hoje escolho
amar
sentir
ser 
eus, vocês, o vento

que delicia sentir que amo todos os seres deste mundo: humanos, animais, plantas, coisas 

e amar não significa que vou resolver os desafios, que vou corresponder as necessidades... não significa que vou fazer o que a pessoa quiser...

amar, significa que aceito, que acolho com amor e compressão o que a pessoa é...
ela é doida, feia, má... aceito e me relaciono do melhor jeito que consigo...
sei que ela seja quem for é eu também
ao igual que eu
louca para sair do automatismo
da prisão de sobreviver
da competição
da condenação da sobrevivência,
das ilusões de sucesso, status, ter, consumir, possuir, acumular, excluir, competir e comer
matar para comer
aí a chave

ave voa, voa, voa

no ar novo alimento
não sei falar bem o que é
mas, experimenta respirar amor, alegria, virtude
até teu coração florescer

é primavera
é Marte conjunção Regulus
é Jupiter em Virgem, quadrado com Saturno em Sagitário, oposição Netuno
é eclipse da Super Lua

é você ai, eu aqui

silencia
no ar revelações
de quem fomos antes de virarmos escravos da ilusão de ter, consumir, matar e comer
relaxa, respira, sente
esquece teu nome, tua historia, teus quereres

está sendo delicioso para mim
só estar, respirar, ser

dá ferias a teu eu maquina, peça de máquinas de máquinas

para ego
para personalidade

vira ator, cantor, dançarino
vira sorriso, agradecimento
vira carinho, afeto, amor
espírito livre encarnado
novas orientações a abençoar
vida em milagres no ar
é só respirar
amar, ser, estar,
viver

mas lembra, a cada instante terás que escolher
o que alimentar

te amo
Hector Othon

Um comentário:

  1. Simples... Aceito-me como uma complexidade de combinações entre pólos. Aceito-me imperfeita, aceito a imperfeição do sistema em que vivo e espero a Glória que há de vir. Simples assim.

    ResponderExcluir